Jornal Rio grande

Confirmada possibilidade do EBR atuar na construção das plataformas P-78 e P-79

  • Ique de la Rocha
  • 03/02/21 as 16:44

“Bom dia, com boas notícias!”. Assim o prefeito do Rio Grande, Fábio Branco, comemorou no Facebook as propostas feitas à Petrobras pelas empresas pré-qualificadas para a licitação de construção das plataformas P-78 e P-79. Essas plataformas irão operar no campo de Búzios, no pré-sal da Bacia de Santos e as propostas partiram dos estaleiros Keppel (Singapura), Samsung (Coréia do Sul) e Daewoo (Coréia do Sul).  

Acontece que os asiáticos terão de cumprir a exigência mínima de 25% no atendimento ao conteúdo local e as referidas empresas indicaram os estaleiros nacionais que serão parceiros ou subcontratados para a execução desses projetos: o EBR, de São José do Norte, e o Brasfels, de Angra dos Reis.

O jornal “Rio Grande” já vinha anunciando que o Polo Naval da região está prestes a ser reativado. Em uma das postagens mais recentes chegamos a prever não só a continuidade do EBR, como a reativação dos outros dois estaleiros do Rio Grande.

As propostas apresentadas nesta última segunda-feira, 1º de fevereiro, estão em fase de julgamento pela Comissão de licitação. Em seguida, será iniciado processo de negociação de condições mais vantajosas à Petrobras, como previsto no Regulamento de Licitações e Contratos da estatal. A previsão é de que as propostas finais para construção das duas unidades sejam aprovadas no primeiro semestre de 2021. O início da operação das plataformas está previsto para 2025, com capacidade para processar diariamente 180 mil barris de óleo e 7,2 milhões de m3 de gás, cada uma.  

Embora o estaleiro EBR esteja localizado em São José do Norte, a proximidade entre as duas cidades fará com que a mão de obra e empresas locais também sejam beneficiadas. Por isso, o Chefe do Executivo rio-grandino declarou que essa possibilidade, se confirmada, “será mais um importante passo na retomada gradual da atividade naval na nossa região”.

Fábio Branco observou: “Nossa região tem mão de obra qualificada e estaleiros com capacidade para atuar na fabricação e montagem de plataformas. Vamos vender nossas potencialidades, como fizemos no passado, e continuar atentos a toda e qualquer oportunidade de desenvolvimento para Rio Grande e região”.

Estratégias para evitar atrasos na entrega

As plataformas P-78 e P-79 são do tipo FPSO, sigla em inglês para a unidade que produz, armazena e transfere petróleo e gás. As unidades farão parte da nova geração de plataformas da Petrobras, que incorpora melhorias e  lições aprendidas com a experiência nos últimos 10 anos no pré-sal e em outros projetos offshore. O processo de licitação segue a Lei 13.303/2016 e teve início em julho de 2020, com a participação de 10 empresas nacionais e internacionais, todas com reconhecida experiência e capacidade técnica e financeira compatível  com a construção requerida.

As atuais estratégias de contratação e construção adotadas pela Petrobras, segundo a empresa, têm por objetivo evitar atrasos nas entregas dos sistemas e acelerar o início do desenvolvimento das áreas de produção. 

  • Compartilhar