Jornal Rio grande

Vereador pediu CPI sobre a vacinação no município

  • Redação JRG
  • 08/02/21 as 19:39

n/d

Imagem: Reprodução/Facebook

O vereador Rafael Missiúnas (PT) provocou uma polêmica na sessão desta segunda-feira, 8, na Câmara Municipal, ao propor, durante declaração de liderança de seu partido, a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar irregularidades na vacinação contra a Covid no município. “Já estou construindo a CPI, porque entendo que os indícios são fortes”, disse ele, durante protestos dos parlamentares da base do governo.

Missiúnas entende que não está havendo transparência nem critérios para a aplicação das vacinas e que já levou ao caso ao Ministério Público (MP):

- O Município precisa ter um Plano Municipal de Imunização. Parece que não tem gestão. Os idosos com mais de 85 anos, querem saber quando serão vacinados. Criaram o Vacinômetro, mas não diz quem está recebendo a vacina. Poderia ter a ocupação da pessoa, o grupo a que pertence.

O petista aproveitou para cutucar seus adversários: “Aqui está parecendo uma monarquia e vemos vários parentes do prefeito, mas vocês não estão administrando a casa de vocês”.  No final, considerou “inadmissível que os profissionais de clínicas privadas recebam as vacinas antes dos profissionais do SUS”.

Por que não deixaram a vacinação preparada?

A vereadora Lu Compiani (MDB), em declaração de liderança respondeu:

- A gente sai um pouco dessa Casa, retorna e constata que às vezes mudam as figuras, mas o discurso permanece sempre o mesmo. Quando se fala na questão de parentesco, para alguém é segredo que sou a Primeira Dama do Município? Todos sabem. É óbvio ou, quem sabe, quem vai ser a Primeira Dama? É um direito legal. Também sou primeira suplente dessa legislatura do MDB e cabe a mim, quando um vereador se afasta, assumir. Achei que pela sua intelectualidade (referindo-se a Missiúnas) o senhor teria mais a contribuir com esta Casa.

Compiani aproveitou para dizer que o atual governo pegou a Prefeitura como “uma casa desorganizada. A questão da vacina já era para estar preparada pelo governo anterior ou acha que em 30 dias poderíamos fazer tudo? Com trinta e poucos dias de governo estamos seguindo o que o Governo do Estado e a Coordenadoria de Saúde encaminha para nós. Estamos seguindo aquelas normativas. Se tem dúvidas, chama a secretária (da Saúde) aqui, mas querem criar um evento com uma CPI”.

Prosseguiu a vereadora:

- Rio Grande precisa de uma Primeira Dama atuante e eu serei, porque me divido muito bem no que sou destinada a fazer. Na questão do planejamento da vacina, acredito que o presidente desta Casa já tenha recebido como será feito com orientação da Coordenadoria Regional de Saúde. Se as vacinas foram encaminhadas para hospitais e clínicas é porque o atendimento é para todo o cidadão, sejam atendidos pelo SUS ou pelas clínicas particulares. Ajude, contribua, dê solução. Ao invés de criticar dê solução. Não faça CPI. Ajude e não complique.

O vereador Giovani Moralles (Patriotas) também debateu: “Quer fazer a CPI? Vamos assinar a CPI para ver onde foi investido o dinheiro que seria para a Covid com apresentação de todos os documentos”.

Vacinação

No final, a vereadora Laurinha (MDB) informou que a secretária municipal de Saúde, Zelionara Branco, “está terminando de fazer um novo regramento para a vacinação, que deve acontecer a partir de quarta-feira, 10, para os idosos a partir de 85 anos”.

O vereador Rafael Missiúnas (PT) agradeceu as informações da parlamentar e reiterou que a Câmara Municipal chame a secretária ou que a Comissão de Saúde da Casa preste os devidos esclarecimentos sobre os procedimentos para a vacinação contra o Coronavírus. “São muitas as dúvidas da população e muitas delas chegam ao meu conhecimento”, concluiu.