Jornal Rio grande

“Vamos comprar as vacinas e deixar as pessoas trabalharem”

  • Redação JRG
  • 25/02/21 as 20:24

n/d

O vereador Júlio Lamin (Democratas) critica o fechamento das atividades comerciais a partir das 20 horas, determinada pelo governador do estado e diz que Eduardo Leite “começou a campanha populista e é uma maldade o que está fazendo”. A declaração foi feita na tribuna da Câmara Municipal. O vereador defende um “equilíbrio” nas determinações do Governo do Estado e entende que elas “não tem amparo científico”.   

“Sabíamos que a pandemia só iria acabar quando chegasse um tratamento eficaz ou a vacina. Aqui o governo passado efetuou limpezas de rua, mas vejo agora, em estudos mais recentes, que a superfície não transmite Covid e quanto gastamos nisso? Os alimentos também tem uma transmissão baixíssima, irrelevante. Fazem lockdown e o movimento continua. Não existe amparo científico no Rio Grande do Sul para o que estão fazendo”, afirma o parlamentar.

Lamin indaga: “Por que o restaurante pode funcionar ao meio dia e uma pizzaria não pode funcionar à noite? O que isso tá adiantando? Os políticos, e agora sou político, deveriam exigir e lutar muito mais por aumento de leitos, fiscalização do distanciamento social nas atividades externas, principalmente nas praias, na avenida do Cassino e tentar manter o trabalho”.

Ele citou o nome de alguns estabelecimentos, como uma lancheria que possui 12 funcionários e pensa em dispensar quatro se forem mantidas as atuais determinações. Ou uma pizzaria que, de nove funcionários irá dispensar cinco. “O comércio não é o grande vilão da história e o maior prejudicado não é o proprietário, mas os funcionários”.

O vereador do DEM ainda observou que os restaurantes obedecem a todas as determinações. “Tem luva, distanciamento. O que mandarem fazer eles vão fazer, mas não impeçam essas pessoas de ganhar o pão de cada dia. Não joguem a culpa em quem não tem culpa. Parece que já escolheram o vilão: quem tem de trabalhar na parte da noite. Vamos comprar a vacina e deixar as pessoas trabalharem”.

 

  • Compartilhar