Jornal Rio grande

Estado orienta ampliação do atendimento nas Unidades Básicas de Saúde

  • Assessoria
  • 01/03/21 as 20:27

n/d

Uma nota de alerta com orientações da Secretária Estadual da Saúde (SES) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems), publicada nesta segunda-feira (1°/3), reforça a necessidade de ampliação e fortalecimento das atividades das Unidades Básicas de Saúde (UBS). O documento aponta uma série de medidas, inclusive a ampliação do horário de atendimento das Unidades de Saúde da Atenção Primária.

O texto sugere, ainda, que os municípios considerem a possibilidade de atendimento no turno da noite e nos fins de semana para diminuir as aglomerações nas Unidades de Saúde.

Aprovada pelo Centro de Operações em Emergência (COE), a iniciativa se deve ao crescente número de casos, hospitalizações e óbitos registrados desde a última semana que levou o Estado à situação de bandeira preta prevista pelo modelo de Distanciamento Controlado.

Destinada a gestores dos municípios gaúchos, o objetivo das orientações é dar conta do tratamento de pacientes com sintomas leves e moderados de coronavírus, liberando as Unidades de Pronto Atendimentos (UPAs) e emergências de hospitais para casos mais graves.

“Mais do que nunca, é hora de manter as unidades básicas de saúde abertas e funcionando. Se possível, em horários estendidos e nos fins de semana, para garantir que toda a população possa ter acesso a atendimento de saúde e não lote as Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e as emergências”, explicou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

A última atualização do mapa de leitos no Rio Grande do Sul divulgada no site coronavirus.rs.gov.br, às 14h07min desta nesta segunda-feira (1°/3), registrava taxa de ocupação 97,6% nos leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Dos 2.762 leitos UTI Adulto, entre públicos e privados, 2.696 estavam ocupados.

Outras medidas orientadas pela SES e do Cosems:

• Potencialização do telemonitoramento e teleconsulta realizada por profissionais que, por qualquer motivo, tenham indicação de permanecerem afastados.
• Teleconsultoria e TelessaúdeRS-UFRGS: reforçar o uso da ferramenta de discussão dos casos clínicos por médicos, enfermeiras e dentistas através do 0800 644 6543, das 8h às 20h.
• Reorganizar atribuições de outros profissionais para o período de emergência sanitária, como o odontólogos, farmacêuticos, nutricionistas, psicólogos, assistentes sociais e demais integrantes das equipes multiprofissionais, que tenham grande potencial para ampliar as ações de acolhimento e
triagem da população que procura atendimento, seja sintomático de síndrome gripal.
• Ampliação de testes RT-PCR: considerar as UBS locais para realização de testagem. Trabalhar em conjunto com a Vigilância em Saúde do município para organizar a busca ativa de contatos dos casos positivos.
• Campanha de vacinação contra a Covid-19, com adequação da organização das estratégias observando que os usuários tenham fácil acesso à vacina, evitando aglomeração, que seja respeitada a determinação dos grupos prioritários e que preferencialmente os locais/equipes de vacinação não sejam os mesmos que atendem sintomáticos de síndrome gripal. A estratégia de ampliação do horário de atendimento das UBS pode colaborar também com a vacinação.
• Visitas domiciliares, dos agentes comunitários de saúde: observando as orientações que são repassadas desde o início da pandemia (não entrar no domicílio, utilizar máscara todo o tempo, lavar as mãos sempre que possível e utilizar álcool gel), são importante dispositivo de ampliação das normas de prevenção da doença, informações sobre a organização dos serviços e identificação de situações onde são necessários atendimentos presenciais ou onde é possível o espaçamento dos atendimentos agendados, bem como monitoramento dos casos confirmados de covid-19 e busca ativa de contatos.

Texto: Ascom SES
Edição: Secom

  • Compartilhar