Jornal Rio grande

Continuam os protestos com o fechamento da gerência da CEEE

  • Redação JRG
  • 03/03/21 as 11:28

n/d

O fechamento do escritório da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) no Rio Grande continua trazendo sérios transtornos aos rio-grandinos. Faz mais de meio ano que a empresa do Governo do Estado simplesmente fechou as portas, sem dar satisfação à comunidade e as reclamações com relação à precariedade no atendimento, são inúmeras.

Com a transferência da gerência regional para Pelotas, a única informação que a população recebeu é que precisa ligar para um 0800 em caso de necessidade. Só que esse número não atende, reclamam vários consumidores. A informação mais recente é que qualquer solicitação tem de ser encaminhada por email. Antes, quando havia uma gerência, o atendimento era direto, presencialmente e as coisas se resolviam.

O assunto tem repercutido na Câmara de Vereadores. Vários parlamentares já se manifestaram a respeito, mas também parece que está faltando alguma atitude mais forte. Afinal, Porto Alegre ou Pelotas não são tão longe assim que não se possa chamar um representante da CEEE para prestar contas à comunidade no parlamento local. Também os vereadores poderiam se dirigir à companhia ou diretamente ao governador do Estado, que também nos deve explicações a respeito.

Nesta semana o assunto foi novamente abordado na Câmara Municipal. O vereador Rubilar Tavares, o Juquinha (PSB), que semana passada recepcionou a deputada estadual Franciane Bayer, de seu partido, ouviu dela que a privatização da CEEE é um caminho sem volta. Por isso, ele sugeriu na tribuna que a Casa encaminhe uma moção à Assembleia Legislativa e ao Governador no sentido de ser incluído no edital do leilão de privatização a exigência para reabertura da agência no município. “É preciso que essa condição seja respeitada e a cidade do Rio Grande seja vista com a grandeza que tem”, ressaltou Juquinha.

Redação JRG

  • Compartilhar