Jornal Rio grande

Concluído inquérito sobre suposta tortura de bebê por cuidadora

  • Redação JRG
  • 06/11/20 as 12:52

 

A Delegacia de Proteção da Criança e do Adolescente (DPCA) encerrou as investigações referentes a uma tortura que um bebê de três meses teria sofrido por parte de sua cuidadora. O fato teria ocorrido em agosto deste ano, o que levou a prisão em flagrante da investigada.  Atualmente ela se encontra em liberdade.

Segundo a delegacia, foram feitas diversas diligências e ouvidas várias pessoas. Dentre as provas colhidas, o exame pericial constatou que o bebê tinha uma marca de fratura consolidada na costela. A Polícia Civil entendeu pelo indiciamento da mulher de 43 anos. O inquérito foi concluído e remetido ao Ministério Público, órgão responsável pela apresentação da denúncia criminal junto ao Poder Judiciário.

 

O caso

A suspeita do crime era funcionária do abrigo em que o bebê estava temporariamente acolhido. Por conta da pandemia de Covid-19, as crianças foram liberadas a ficar diretamente sob os cuidados dos funcionários das instituições, como forma de se evitar o surto da doença nos abrigos. No dia 11 de agosto deste ano, a indiciada levou o bebê, que chorava e aparentava sentir dores, a uma Unidade de Pronto Atendimento. A equipe médica desconfiou dos hematomas apresentados pela criança e acionou o Conselho Tutelar e a Brigada Militar. A mulher foi presa em flagrante e o bebê, levado aos cuidados de outra instituição protetiva.