Jornal Rio grande

Até quando vão matar meninas e mulheres?

  • Graziela Rinaldi da Rosa
  • 07/11/20 as 11:04

 

Escrever sobre violência contra as mulheres nunca foi algo simples. Muitas vezes acompanhamos notícias de mortes, assassinatos, casos de violência doméstica e feminicidio, no campo e nas cidades, sem refletir profundamente sobre as causas de brutais e/ou veladas violências acontecerem.

Quando educamos nossos filhos e filhas, esquecemos de falar sobre o machismo, falocentrismo, androcentrismo e do sistema patriarcal. Realmente, muitas vezes, não é algo simples de percebermos e a sociedade passa a culpar as meninas, jovens e mulheres. O problema não está na roupa que a menina ou mulher usa, tampouco nos seus atos e na sua forma de se comportar. Ainda somos educados(as) de forma machista, e aprendemos (homens e mulheres) a não ouvir o que as mulheres têm a dizer, e, quando falam, não são escutadas ou respeitadas como deveriam. Basta analisarmos o fato de ainda ter homens usando de sua força para ter relações sexuais não consentidas, não autorizadas. A violência doméstica e o feminicidio ocorrem, entre outras coisas, porque os direitos das mulheres ainda não são respeitados. 

A maioria dos homens ainda não sabem ouvir o NÃO das mulheres. Seja na cama ou fora dela! Nossa sociedade carece de uma educação que contribua para pensarmos as relações de gênero e, mesmo assim, há um movimento retrógrado em tentar fazer com que as meninas e as mulheres não tenham direito de decidir sobre os seus corpos.

É preciso falar com os meninos e homens sobre isso, para que não cresçam acreditando que são “donos” de uma mulher ou de seu corpo. E aqui quero lembrar a diversidade de corpos e de mulheres. São homo, hetero, trans, bi...Somos várias e distintas, e temos direito de dizer NÃO! BASTA!

Até quando mulheres serão agredidas, estupradas, abusadas sexualmente e sofrerão violências? Até quando seremos violentadas (psicologicamente e fisicamente) e mortas por não querermos estar com uma determinada pessoa? Até quando as autoridades irão absolver criminosos, estupradores, abusadores e agressores? Até quando meninas e mulheres serão mortas pelo fato de serem mulheres? Não existe “estupro culposo”! Nunca existiu! Estupro é crime! Feminicídio é crime!

A Lei do Feminicídio (Lei nº 13.104/2015) é clara: a lei considera feminicídio quando o assassinato envolve violência doméstica e familiar, menosprezo ou discriminação à condição de mulher da vítima. No entanto, é preciso garantir que a medida protetiva, prevista na Lei Maria da Penha seja cumprida! É necessário prender os agressores, abusadores e criminosos, para que os homens aprendam a respeitar às leis que visam proteger e amparar as mulheres nesses casos, além de criar uma rede de enfrentamento contra as diferentes violências que as meninas e mulheres sofrem. Entre tantas outras coisas, precisamos de formação para profissionais que recebem essas mulheres nas delegacias, para profissionais do direito, educação e para as autoridades que julgam esses casos. BASTA!

 

DrªGraziela Rinaldi da Rosa  é profª de Filosofia e Educação Popular do Instituto de Educação/IE-FURG, Líder do Coletivo Feminista Dandaras/FURG, Militante Feminista e Promotora Legal Popular, profª. Colaboradora do D'Generus (UFPEL-RS), integrante da Rede Brasileira de Mulheres Filósofas, Colaboradora do Grupo de Pesquisa Sexualidade e Escola-GESE/FURG, Coordª da Linha de Pesquisa "Relações de gênero e feminismos na educação" GESE/FURG, além de integrar o Grupo de Pesquisa Educação Popular, Metodologias Participativas e Estudos Descoloniais (UNISC-RS)