Jornal Rio grande

Olha aí - 07/11/20

  • Ique de la Rocha (ique@jornalriogrande.com)
  • 07/11/20 as 18:12

 

Votando bem a gente melhora a política

Dá para impressionar a quantidade de gente que se candidatou à vereança. Sabe-se que muitos, embora não generalizando, são candidatos de olho nos vencimentos do cargo. De qualquer forma, se queremos democracia temos de valorizar o parlamento e torcer para que nossas escolhas sejam corretas, colocando na Câmara Municipal gente que nos possa representar de verdade. É como dizem; os eleitos são um retrato de nossa sociedade. Temos a obrigação de melhorar essa fotografia. Pena que a tão sonhada reforma política não aconteceu e, quando acontecer, não vai ser a ideal, porque os velhos políticos, os velhos caciques da política não abrem mão de seu poder e são eles os culpados por muita coisa ruim. Mais uma vez: nem todos os velhos políticos são ruins, mas boa parte deles acaba por impedir o surgimento de novas lideranças. Por isso o eleitor muitas vezes não tem opção e acaba votando no menos pior.

Ninguém fala no Polo Naval

Tem uma situação que me deixa triste no Rio Grande, embora continue achando que é a nossa vocação e que ainda vai ser reativada. Lembram quando veio o Polo Naval? Todo mundo brigava para ser o pai da criança. Hoje a gente não vê em nenhum programa de governo uma citação sequer sobre aquele grande projeto. A reativação da indústria naval seria uma das formas mais rápidas de recuperar o emprego, sem falar que um empreendimento desses mexe não só com a cidade, mas com toda a região.

É bom lembrar que o nosso Polo parou e os demais existentes no país continuaram em atividade. Aqui mesmo ao lado, em São José do Norte, o EBR ganhou até premiação da Petrobras pela qualidade dos serviços prestados. Mas nenhum candidato, nem a vereador, nem a prefeito, fala no Polo Naval.

Itajaí é exemplo

Talvez nosso futuro prefeito ou prefeita devesse fazer um estágio de administração em Itajaí (SC). Por muitos anos eles não conseguiam nem se encostar na gente, mas agora estão nos passando de viagem. O maior polo pesqueiro do país, nos anos de 1970, foi Rio Grande. Hoje é Itajaí.  O porto deles é o segundo em movimentação de cargas conteinerizadas do país e o maior exportador de carnes congeladas do Brasil. Itajaí também conta com a sede internacional da maior empresa de enlatados do mundo e bem ao lado, basta atravessar um canal, tem a cidade de Navegantes e um belo aeroporto com linhas aéreas para o centro do país. A indústria naval não vai parar por lá e já existem encomendas para a construção de navios para a Marinha do Brasil. Uma cidade com cerca de 215 mil habitantes, quase como a nossa, mas eles estão pensando grande, enquanto aqui não vi nenhum candidato falar em lutar pelo Polo Naval. Ou seja, se sair o porto do litoral norte, que está para sair, o que vai sobrar para nós? E o pior é que não vejo ninguém se mexer para reverter esse quadro.

n/d

n/d

Imagens de Itajaí, litoral de Santa Catarina

Rio-grandinos estão em Itajaí

Parece que os rio-grandinos não tem noção do quanto estamos atrasados em relação a muitas cidades. Então hoje vou postar, na coluna duas fotos de Itajaí e vocês vão entender porque existe lá uma das maiores colônias de rio-grandinos. E se nós não nos acordarmos, falo nas lideranças políticas, mas também em todo tipo de liderança, mais gente irá daqui para lá.