Jornal Rio grande

Fatos e Coisas de Antanho - 03/12

  • Jornal Rio Grande
  • 03/12/20 as 10:26

n/d

Coluna fundada por Manoel Pinto Ferreira Junior

1858 – O relatório do Presidente da Província:

“Nova Matriz da Freguezia da Vila de São José do Norte – As obras da nova Matriz acham-se muito adiantadas e calcula-se despesa que demanda sua conclusão em 6:000$.

Para poder prestar-se aos ofícios divinos é mister a conclusão do assoalho e o reboco das paredes laterais. A capela que serve atualmente de Matriz se acha em mau estado.

Durante o exercício de 1857, pelos cofres municipais lhe foi dado o auxílio de 2:000$”.

1859 – A loja de José dos Santos Lontra, na rua do Pito, canto do Carmo, chegou um completo sortimento de saias balões, que se vendem a preços razoáveis.

1925 – Na igreja de Nossa Senhora da Conceição é cantada missa solene em homenagem à memória do magnânimo Imperador D. Pedro II.

No coro fizeram-se ouvir a professora Inah Emil Martensen, senhorinhas Stella Cramer, Erma Anselmi e Margarida Barcellone, acompanhadas pela orquestra dirigida pelo maestro Antenor de Oliveira Monteiro.

Às 16 horas dá-se a inauguração da placa de bronze na avenida que corre em seguimento da rua Uruguaiana até a avenida Honório Bicalho, e que tomou a denominação de Avenida D. Pedro II.

Foi orador nessa solenidade o Dr. Arthur Ferreira Braga.

A denominação dessa avenida foi lembrada e solicitada à Intendência local por numerosos grupos de cavalheiros, que também ofereceram a placa.

1943 – A Comissão Especial de Fronteiras, com sede no Rio, vem de conceder licença para comerciar as seguintes firmas desta praça: Manoel Santiago Balaguez, Manoel Moreira de Magalhães, Alvariza & Irmão, Giovanni Damatti e Jousef Habib Nader.