Jornal Rio grande

Fatos e Coisas de Antanho - 07/12

  • Redação JRG
  • 07/12/20 as 9:51

n/d

Coluna fundada por Manoel Pinto Ferreira Junior

 

7 de dezembro

1819 – É autorizada a construção da Atalaia na Barra do Rio Grande.

N. da R. – A construção, todavia, só foi executada três anos depois.

1830 – Decreto do governo federal resolve que “todos os terrenos distribuídos na vila do Rio Grande de São Pedro, dentro dos limites dos prédios urbanos, que não tenham edifícios e que mediante as formas de direito se verifique que tem caído em comisso, e por isso sejam julgados devolutos, são concedidos à mesma Câmara e serão incorporados aos demais bens do Conselho.

1860 – Antonio Agostinho do Nascimento, proprietário do Hotel Rio-Grandense, tem a honra de participar ao respeitável público e a todos seus fregueses que haverá todos os dias, com prontidão e asseio, a qualquer hora da manhã, o bom café com leite, biscoitos, pão de lós, etc, etc e, bem assim, a rica feijoada e o jantar todas as quartas-feiras, às quintas e domingos, às 8 horas da noite em diante, canja de galinha, presuntos, etc.

No mesmo estabelecimento se encontrarão excelentes acomodações para hóspedes, mesmo com família, e banho a qualquer hora.

Para comodidade à concorrência pública nas noites de espetáculos, a porta do hotel estará aberta até finalizar.

1924 – Pela Comissão de Iniciativa e Modernização da Bibliotheca Rio-Grandense foi feita no dia 29 do mês transato a mais importante encomenda de livros que já se registrou no Estado.

O pedido, acompanhado da respectiva relação, atinge a quantia de 32 mil liras e consta de 740 volumes sobre todos os ramos do conhecimento humano, o que existe de mais moderno, especialmente em engenharia hidráulica, sobre portos, canais, eletricidade e saneamento, construções, higiene das cidades, ajardinamento, máquinas de toda espécie, construção naval, muitas outras matérias de grande interesse, de autores notáveis, franceses, ingleses, italianos, alemães e americanos.