Jornal Rio grande

Capela do Taim, na Vila da Capilha, deve ser restaurada

  • Ascom SEDAC
  • 08/12/20 as 16:09

A Secretaria da Cultura (Sedac), por intermédio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) assinou um Termo de Destinação de Valores para custear o restauro da Capela do Taim, localizada na Vila da Capilha, em Rio Grande, bem tombado pelo município de Rio Grande. 

Capela do Taim é o nome popular da Capela de Nossa Senhora da Conceição. Localizada em um trecho elevado, às margens da Lagoa Mirim, sua importância está não apenas na composição paisagística da localidade mas em seu papel para a história da região. Sua construção, em 1785, deu origem ao povoamento do entorno, a Vila dos Pescadores. A pequena capela comemora, nessa terça-feira (8/12), a festa de sua santa padroeira, Nossa Senhora da Conceição.

n/d

Renato Savoldi / Iphae

O projeto é uma parceria proposta pelo Ministério Público Federal (MPF), a Mitra Diocesana de Rio Grande e o município. Assinaram o documento a secretária da Cultura, Beatriz Araujo, a procuradora da República, Anelise Becker, o bispo diocesano, Ricardo Hoepers, e o prefeito de Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer.

O orçamento para restauro integral da capela, superior a R$ 2 milhões, foi aprovado pelo Iphae. O valor é proveniente de acordos firmados em ações civis públicas, movidas pelo MPF. A execução do projeto, com previsão de conclusão em 12 meses, ficará sob responsabilidade da Mitra Diocesana de Rio Grande e será fiscalizada pelo Iphae.

O município será responsável por executar o Plano Integrado de Gestão, Desenvolvimento, Conservação e Sustentabilidade do Núcleo Autônomo do Taim, onde a capela configura-se como ponto fundamental. O plano, que teve contribuição do Iphae, prevê o uso e a valorização do sítio histórico, bem como a articulação do turismo regional.

Plano de desenvolvimento local

O diretor do Iphae, arquiteto Renato Savoldi, destacou a necessidade da execução do plano de desenvolvimento local para a valorização da capela e da comunidade. “O trabalho do Iphae foi, principalmente, acrescentar parâmetros culturais ao estudo. O resultado final é uma diretriz que permite ao município de Rio Grande ordenar o uso e a ocupação do território de forma integrada e sustentável, com o viés da educação ambiental e cultural e do desenvolvimento socioeconômico da localidade”.

A secretária da Cultura, Beatriz Araujo, falou sobre a importância das parcerias para a execução de ações. “Fico feliz em saber que podemos contar com esses parceiros na missão de preservar um patrimônio tão rico do nosso Estado. Em espírito de colaboração, movemos desejos e viabilizamos projetos, tornando possível a continuidade de histórias como as da Vila da Capilha”, explicou.