Jornal Rio grande

Jornal Rio Grande há 50 anos - 09/12/1970

  • Redação JRG
  • 09/12/20 as 9:51

n/d

 

Quarta-feira, 9 de dezembro de 1970.

Placa de grandes dimensões para acabar com as dúvidas

Já está preparado, na fachada da bi-centenária Matriz de São Pedro, o lugar em que será colocada uma placa de bronze, assinalando aquele templo – o mais antigo em toda a região desde Santa Catarina até o estuário do Prata – como aquele em que recebeu as águas do batismo o que seria Marquez de Tamandaré e, poucos anos depois de sua morte, escolhido Patrono da Marinha do Brasil.

A placa deverá reproduzir os dizeres de documento de próprio punho, do almirante Joaquim Marques Lisboa, e o que afirma haver nascido na vila de São Pedro do Rio Grande e sido batizado na “catedral” de São Pedro da mesma Vila. Este documento, como se sabe, dirimiu todas as dúvidas sobre o lugar de nascimento do Patrono da Marinha, antes disputado, também, pelo fronteiriço município de São José do Norte, embora a família de Francisco Marques residisse nesta então vila.

Caviar do Rio Grande para o México

Uma primeira remessa de caviar elaborado em nossa cidade, deverá seguir amanhã para a capital do México, onde será distribuído com exclusividade pela Mexibras, empresa comercial de grande porte, que acredita poder impor o produto brasileiro no mercado daquele país, graças à sua excelente qualidade, já devidamente comprovada.

A primeira remessa, constante de 540 volumes, seguirá em avião da Varig amanhã, devidamente acondicionada em potes modernos e discretos.

Esta é a primeira vez que o Brasil vende caviar ao México e tudo leva a crer que será um sucesso devido a qualidade do Caviar Tainoff, que se produz em Rio Grande utilizando ovas de miragaia, sob a supervisão do renomado técnico francês Jean Lacombe, há poucos anos radicado nesta cidade.

Para comemorar o acontecimento, o sr. Jean Lacombe oferecerá um almoço ao prefeito, aos técnicos do serviço de inspeção e aos representantes da imprensa, ao meio dia de amanhã, no Restaurante Haiti.

Atrasa-se a ampliação do silo

A ampliação do silo portuário da Cesa, que deverá aumentar a sua capacidade de 20 mil para 56 mil toneladas, encontra-se ainda na fase dos alicerces, contrariando as previsões de que estaria pronto para atender a safra tritícola de 1970.

No momento a falta de um silo maior está acarretando graves problemas. Vagões em grande número, assim como caminhões, ficam retidos por alguns dias no recinto portuário, em virtude da falta de aparelhamento  capaz de efetuar rapidamente a sua descarga.

Espera-se, todavia, que no próximo ano o silo da Cesa esteja concluído e em condições de operar.

Homenagem

A empresa produtora da Pepsi-Cola em nosso estado homenageou a imprensa, na tarde de ontem, oferecendo um coquetel no Hotel Charrua, durante o qual foi anunciada a volta do nosso conterrâneo, sr. Argemiro Carvalho, à gerência de Rio Grande, da qual se achava afastado há alguns anos, exercendo elevadas funções na Capital do Estado.