Jornal Rio grande

Fatos e Coisas de Antanho - 10/12/20

  • Redação JRG
  • 10/12/20 as 9:58

n/d

 

10 de dezembro

1862 – O “Commercial” noticia que o hábil e modesto artista Fernando Joaquim Penna, que tem um estaleiro sob a direção do administrador da Praticagem da Barra, Antonio Alves dos Santos, construiu um palhote, cuja planta fora feita pelo primeiro construtor da Côrte Napolóon Level.

N. da R. – O palhote aludido, que se destina à Praticagem da Barra, tinha 45 de extensão da quilha, 5 pés de pontal e 14 de boca. Era de madeira dos melhores da Província e todo forrado e encavilhado de cobre. O seu calado máximo era de 4 pés. Teve o nome de “Rocha” e apresentou a melhor marcha dentre todas as embarcações que serviram à Praticagem da Barra.

1877 – A população desta cidade tem mais uma maravilha a admirar! Um fenômeno humano vivo, com todas as suas faculdades, órgãos e desenvolvimentos naturais, mas em miniatura!...

É a menina-mulher, que ontem chegou de Pelotas.

Tem onze anos, confirmados com atestado. Tem três palmos apenas de altura, pesa 12 libras e já mudou os dentes. É uma verdadeira curiosidade, digna de ser apreciada.

Hoje é ela apresentada em exposição pública, das 5 horas da tarde às 9 da noite, num salão junto ao Hotel Paris.

Preço: adultos 1$, crianças 500 réis.

1878 – Está assinado e publicado o decreto tão ansiosamente desejado para a construção da estrada de ferro do sul da Província, que partirá desta cidade até Bagé.

É mais um grandioso feito do ilustre ministro da fazenda, conselheiro Gaspar Martins, que a Província do Rio Grande, jubilosa, não deixará de agradecer.

1879 – Seguiu no “Rio Grande”, para Santos, a fim de assumir as funções de Capitão do Porto, o capitão Felinto Perry, ex-comandante da Praticagem da Barra,

1924 – Noticiou “A Federação”: Deu-nos o prazer de sua visita o nosso distinto amigo 1 Tenente Armando Cattani, que acaba de regressar do Rio.

O Tenente Cattani pede-nos desmintamos a notícia telegráfica publicada por alguns jornais deste Estado, sobre a atitude do marechal Estillac Leal, em relação ao atual momento político, não sendo, pois, exato que S.Sa. tivesse sido preso alguma vez, sequer envolvido em trama de algum processo ou denúncia de co-participação no movimento de rebeldia que ensanguenta e enluta a nossa Pátria.