Jornal Rio grande

Nova variante do Covid-19 pode estar causando aumento de infecções na Inglaterra

  • Matheus Magalhães da Silva
  • 14/12/20 as 14:31

O Secretário de Saúde britânico Matt Hancock revelou que foi registrada a presença de nova variante do Covid-19 no Reino Unido. Ele alega que alertou a OMS sobre a situação e que "não há nada que sugira" que esta variante do vírus causa uma versão mais letal dos sintomas ou que as vacinas não terão efeito sobre o vírus mutado. 

O motivo de preocupação acontece porque houve aumento exponencial em infecções por coronavírus na região Sul da Inglaterra, precisamente nas cidades de Londres, Kent, Essex e Hertfordshire. Cerca de 1000 destes casos foram identificados como sendo resultados da nova variante o que poderia indicar que a variação é capaz de se alastrar com ainda mais rapidez e facilidade que o vírus não-mutado. Ainda que não haja um estabelecimento seguro e científico do aumento de casos com o aparecimento da variante, já há certo pânico na medida em que as notícias surgem. 

n/d

Matt Hancock - Sky News

É importante ressaltar que é da natureza dos vírus sofrerem mutações ao longo do tempo. Nem sempre as mutações tornam mais potentes e letais as doenças decorrentes destes vírus. Recentemente, uma variante que sofreu mutação e perdeu parte de seu código genético foi encontrada em Singapura. A partir da observação de cientistas, foi concluído que a variante causava sintomas mais leves que a versão "tradicional" do vírus sars-Cov-2, com os pacientes infectados não apresentando grau agudo de infecção e não necessitando de oxigênio. 

Entretanto, mesmo assim é preciso ter muita atenção com as mudanças que ocorrem no vírus em partes localizadas no mundo. Segundo reportagem da BBC britânica, o ponto central é perguntar se o comportamento do vírus mudou desde a mutação. Muitas destas mutações não alteram a forma como o vírus é transmitido ou sua letalidade. Porém, ainda não se sabe se essa variante que surgiu no Sul de Londres foi capaz de fazer alguma alteração e tem responsabilidade no aumento vertiginoso de casos.