Jornal Rio grande

Possibilidade de descredenciamento da UPA abordada na Câmara

  • Ique de la Rocha
  • 16/12/20 as 9:20

n/d

Foto: Prefeitura do Rio Grande

O vereador Luiz Francisco Spotorno (PT) manifestou preocupação com comentários sobre a possibilidade de acontecer um descredenciamento, por parte do Ministério da Saúde, da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Junção. Acontece que aquela pasta do governo federal vem fazendo uma série de exigências no que diz respeito à documentação.

O parlamentar até pediu aos vereadores que têm ligação com partidos aliados do governo federal para verificarem se existe alguma ameaça nesse sentido. Ele disse que “o descredenciamento significaria um colapso no atendimento a toda zona oeste da cidade. Teria consequências desastrosas para a comunidade e não é só Rio Grande. Pelotas também vive o mesmo problema”. Informou, ainda, que são gastos em torno de R$ 1,5 milhão por mês no custeio daquela unidade.

Questão burocrática

Nossa reportagem conversou com o secretário de Saúde, Maicon Lemos, neste final de tarde. Exigências existem, mas ele não acredita em descredenciamento: “Estamos acompanhando o processo de credenciamento da UPA, onde o Ministério da Saúde vem solicitando vários documentos e estamos atendendo a todos. Outros municípios também fazem o mesmo. É uma questão burocrática”. Lemos informa, também, que a demanda na UPA tem sido grande. Nos primeiros 30 dias de funcionamento já foram feitos mais de 5.500 atendimentos. Ela comporta 10 mil atendimentos/mês, sendo que para isso os serviços teriam de ser ampliados.