Jornal Rio grande

Olha aí - Cadê o clima de Natal em nossa cidade?

  • Ique de la Rocha (ique@jornalriogrande.com)
  • 23/12/20 as 8:31

 

O Natal será mais bem vivido quanto mais nos prepararmos para ele. Assim como na casa da gente, se não tiver um enfeite, uma árvore ou algo que lembre a data, não haverá o mesmo entusiasmo para a espera do Bom Velhinho, da mesma forma acontece com a nossa cidade.

Como fica bonita uma cidade preparada para o Natal com uma decoração adequada, nem que seja uma simples árvore. Se tiver algum Papai Noel nas ruas, para receber a criançada, melhor ainda. Essas iniciativas fazem com que as pessoas entrem no clima dessa data tão especial e melhora o astral de todo mundo.

Graças à iniciativa da CDL, Pelotas todos os anos vive o clima do Natal, com pandemia ou sem pandemia. Aquela entidade dá um exemplo de criatividade com as inúmeras atrações que costuma proporcionar à comunidade pelotense. Neste ano, a pandemia obrigou ao cancelamento do evento “Pelotas Doce Natal”, mas está sendo promovida a Fenadoce-Especial de Natal, com venda de doces por aplicativo e apresentações musicais de forma virtual. Além disso, uma árvore com 15 metros de altura foi montada junto ao Mercado Público, que transformou-se num verdadeiro cartão postal daquela cidade.

Uma decoração natalina pode ser feita com muitos recursos ou, também, com poucos recursos. O principal é a criatividade. Pode ser somente com bastante luz, e Natal é luz, ou com a tradicional árvore de Natal que se monta até com garrafas PET, desde que com bom gosto, é claro. Mesmo a pandemia não é desculpa para que uma comunidade como a nossa, com 200 mil habitantes, não tenha uma entidade que se proponha a empreender esse tipo de iniciativa. Lembram das maravilhas feitas pela Associação Comercial do Cassino no memorável “Ondas de Natal” que, por sinal, deveria retornar? A comunidade cassinense já mostrou várias vezes do que é capaz.  

Mas, voltando à ausência do clima de Natal na área central, da mesma forma que em toda a cidade, sugerimos aos movimentos religiosos que mudem esse quadro para o próximo ano, quando, se Deus quiser, a pandemia deverá ter passado. Unam o pessoal de vocês, façam um projeto e depois uma “vaquinha” para angariar os recursos, que não são muitos. É provável que até alguns comerciantes unam-se nessa empreitada. Façam uma árvore bonita, mesmo que não seja grande. Se possível, também um Presépio, que pode iniciar humilde e ir aumentando a cada ano. Tem a alternativa, ainda, de um Presépio Vivo, encenado por um grupo de teatro ou voluntários. Poderia se colocar a árvore e o Presépio na frente da nossa Catedral, no Largo Dr. Pio. Será que o Aniversariante não merece isso?  

Enquanto ações como essas não partem da nossa gente, apesar do potencial humano que possuímos, teremos de continuar aplaudindo iniciativas como as da CDL de Pelotas com a certeza de que poderíamos fazer igual ou até melhor que eles, mas nos falta iniciativa.  

n/d

Uma das decorações de Natal de Pelotas